bango, balango, senhor n’kwango

bango, balango, senhor n’kwango sozinho na cela uma letra de tango de amores roubados de sonhos rasgados destinos fodidos os dois separados pano, carpano quem é o mais humano quem olha pra dentro quem é o mais insano outra humanidade agora é saudade sofrer agorinha de noite e de tarde outra humanidade agora é saudade não ser mais gorila não ter mais vontade gingado de samba na corda mais bamba um banzo doído picada de mamba na letra do tango me chamam n’kwango sozinho na cela eu bango, balango

leipzig, junho de 2004

Anúncios
Esse post foi publicado em Bio Arte e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para bango, balango, senhor n’kwango

  1. Valéria Ruiz disse:

    Oh gajo! Que abrigas balango com jeito y te traigo no peito? Despeito, respeito teu jeito tão gajo molejo melejo y concebo em teu seio?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s